GatoNet: central de TV por assinatura pirata é desmantelada pela Polícia Civil no Rio

GatoNet: central de TV por assinatura pirata é desmantelada pela Polícia Civil no Rio
5 (100%) 8 votos

De acordo com a Polícia Civil, o prejuízo pode chegar a R$ 5,5 milhões. Até o momento, oito suspeitos foram presos.

As investigações da operação batizada de “Router” apontam que funcionários e ex-funcionários de empresas do ramo de internet, telefonia e televisão estariam participando em conjunto de um esquema para a venda destes equipamentos. Mais de 90 roteadores foram furtados até o fim de setembro de 2018, em um valor estimado de R$ 60 mil cada.


Segundo a polícia, essa é uma forma de levar o sinal clandestino de TV a cabo para as comunidades.

“Esse mercado clandestino de roteadores furtados que alimenta também as milícias que montam gatonet, além de outras empresas que prestam serviço no ramo de internet e TV a cabo”, afirmou o delegado Moisés Santana.

Ainda segundo a polícia, estimativa é que as empresas que tiveram esses equipamento furtados tenham tido prejuízo de R$ 5,4 milhões. “Entre os criminosos há funcionários e ex-funcionários, utilizando de uniforme e equipamentos dessas empresas para as quais eles prestavam serviço”, garantiu o delegado.

O grupo conta com mais de dez pessoas, que dividem as funções entre os que furtam os equipamentos e os que preparam os roteadores para a comercialização, chamados pela Polícia Civil de braço operacional e braço administrativo, respectivamente.

A quadrilha realizava o repasse dos roteadores por sites de venda, anunciando os equipamentos por até R$ 25 mil. Parte dos acessórios furtados era entregue a outros grupos com atuações ilegais no ramo de telecomunicações, conhecido popularmente por “gatonet”.


Números da pirataria

A Associação Brasileira de Televisão por Assinatura (ABTA) divulgou um estudo que revela a quantidade de brasileiros que usam o sistema pirata de TV paga. São 4,2 milhões de domicílios com sinal clandestino. No Brasil, 25,2 milhões de casas. No País são 25,2 milhões de domicílios com acesso aos canais por assinatura, dos quais 18,1% não pagam pelos serviços.
Os dados revelam que se a “gatonet” fosse uma operadora, ela seria a terceira do setor, atrás apenas da Net (6,1 milhões) e da Sky (5,1 milhões). Teria mais de quatro vezes mais assinantes que a Oi (886 mil).

Informações via R7

Fechando o cerco a pirataria